Planejamento – R. J. Rushdoony

Planejamento – R. J. Rushdoony – tradução Nathan Cazé

Anúncios

O socialismo como uma guerra civil perpétua – R. J. Rushdoony (Tradução: Nathan Cazé)

O Socialismo como uma guerra civil perpétua – R. J. Rushdoony – tradução Nathan Cazé

Também disponível no sítio eletrônico da Chalcedon: https://chalcedon.edu/resources/articles/o-socialismo-como-uma-guerra-civil-perp%C3%A9tua

O Porquê de Confrontarmos o Estatismo – Mark R. Rushdoony (tradução: Nathan Cazé)

O Porquê de confrontarmos o estatismo – Mark R. Rushdoony – tradução Nathan Cazé

Também disponível no sítio eletrônico da Chalcedon: https://chalcedon.edu/resources/articles/o-porqu%C3%AA-de-confrontarmos-o-estatismo

As Dez Antíteses

As Dez Antíteses
Autor: Pastor Jeff Black
Igreja Reformada Presbiteriana Providência [Providence Reformed Presbyterian Church]
Sermão intitulado: Rejeite a Deus e Você Terá Socialismo
Fonte original: https://feileadhmor.wordpress.com/2010/11/23/the-ten-antithesis/

Para definir o socialismo, simplesmente considere a antítese para cada um dos Dez Mandamentos.

A Primeira antítese – O Estado não está sob a jurisdição de Deus e não deve usar, como referência, a Palavra de Deus em qualquer uma de suas políticas, decisões ou programas.

A Segunda antítese – O Estado deve fabricar imagens de si próprio e exigir a exibição proeminente, em público, das mesmas. Nenhum símbolo de qualquer autoridade alternativa será permitido em propriedade pública.

A Terceira antítese – Juramentos não devem fazer referência ao Deus verdadeiro da Bíblia e, quando feitos, devem ser compreendidos como tradição insignificante.

A Quarta antítese – Já que Deus não existe, não há nenhum dia em que ele tenha uma propriedade especial. Portanto, as empresas operarão sem impedimento no domingo.

A Quinta antítese – Já que Deus não existe, Ele não define a família; então, o Estado pode defini-la ao passo que a mesma serve o objetivo do Estado. Os Direitos da Criança devem ser positivadas em lei, para que a autoridade das mães e dos pais seja prejudicado.

A Sexta antítese – Matarás milhões de bebês humanos tendo por objetivo uma cultura sustentável. Aqueles que matarem humanos nascidos não serão executados, mas sim compreendidos e simpatizados por causa de seu meio infeliz, o qual os condicionou a tal comportamento.

A Sétima antítese – Já que Deus não existe, Ele não define o casamento; então, o Estado pode defini-lo ao passo que o mesmo serve o objetivo do Estado. Já que não existe uma moralidade absoluta, devemos reconhecer que a atividade e expressão sexuais não tem fronteiras nem limites, exceto quando isso possa servir o objetivo do Estado.

A Oitava antítese – A propriedade privada deve ser abolida conforme os interesses do Estado. Nenhum cidadão-sujeito será permitido desenvolver a sua independência do Estado. Todo mundo deve ser realocado ao Estabelecimento do Governo.

A Nona antítese – Não existe nenhum padrão absoluto da verdade. A verdade deve estar a serviço do Estado; portanto, qualquer coisa pode ser comunicada se a mesma serve ao objetivo do Estado.

A Décima antítese – Cobiçarás os bens do teu vizinho e confiscá-lo-ás para ser redistribuído conforme parece ser bom aos olhos do Estado.

Tradução: Nathan Cazé | Blog: monoergon.wordpress.com